quinta-feira, abril 14, 2016

443 - História do Capão do Leão por Magda Costa - Introdução

Diário da Manhã, 31/03/1983



"SOMENTE A HISTÓRIA PODE DAR A UM POVO A CONSCIÊNCIA DE SI PROPRIO" - Renan

Escrever a História de um povo, analisar os seus feitos, os impulsos progressistas das comunidades, as ações dos seus governantes o esoicismo dos seus heróis, não trata-se de ficcionar-se fatos, sim, rememorá-los, enfeixando-os dentro de uma ética verdadeira, onde a criação literária possa enquadrar-se a uma realidade sem maiores ostentações.

Escrever a História de um povo é debruçar-se sobre os arquivos e as obras dos historiógrafos, e através às pesquisas que realizar, ir recolhendo dos albores das gerações pretéritas o manancial dos fatos, para transmudá-lo às comunidades do presente, conferindo-lhe os seus direitos inerentes.

Estamos iniciando a primeira História do Capão do Leão,  elevado a categoria de Município no dia 3 de Maio de 1982.

O Capão do Leão, dá os seus primeiros passos para transformar-se na Cidade do Futuro. 

O Capão do leão, através à lei....n° 7.647,  emancipa-se, atinge a maior  idade, inicia o seu novo destino com a convicção dos fortes, com a firmeza, com o desassombro daqueles que não recuam à luta.

O Capão do Leão, como os demais Municípios que engrandecem a Zona Sul do Estado, ·com decidida projeção no âmbito nacional, por certo dentro de um futuro não mui distante igualar-se-á aos mesmos, política e economicamente.

Estamos escrevendo a História do Capão do leão, por delegação do Governo desse Nóvel Município.

Não somos historiadores, apenas desejamos colaborar com os nossos esforços de gente afeita às lides de Imprensa. Reputamos o nosso trabalho como simples elaboração de uma documentação histórica, a ser futuramente melhor realizada, por quem de direito, mereça tal mérito.

É de justiça que encerremos este intróito à História do Capão do Leão, consignando os nossos agradecimentos  ao prof. Henrique Carlos de Moraes, Diretor do Museu da Biblioteca Pública Pelotense e ao Dr. Major Angelo Moreira, Membro do Instituto Histórico Geográfico (Pelotas), bibliógrafo incansável de João Simões Lopes Neto.

Ambos prestaram valiosos subsidias às nossas pesquisas, facilitando o nosso trabalho. 

MAGDA COSTA

Nenhum comentário: