quinta-feira, abril 14, 2016

442 - Magda Costa

O primeiro livro que se conhece sobre a História do Capão do Leão, é "Capão do Leão - Povo Identidade" do Frei Sylvio Giocondo Dall´Agnol, de 1993, mas, 10 anos antes, a Escritora Magda Costa já contava, para as páginas do Jornal Diário da Manhã, a História Leonense. 


 Vereador Esmelindo Silveira, prefeito. Getúlio Victoria, MAGDA COSTA e 1a dama Maria Bolais - Contribuição: Jara Silveira

Encontrei uma pequena mas rica descrição de Magda Costa.

Magda Costa (Seu verdadeiro nome era Circe de Moraes Palma Monteiro)

      Magda nasceu em Porto Alegre em 1913 e faleceu em Pelotas em 1992.
      Quem foi essa personagem?
      Uma mulher guerreira e culta. Idealizadora da Academia Sul Brasileira de Letras (Casa de Cultura João Simões Lopes - ata de fundação). Escritora premiada de numerosos livros acadêmicos e literários, peças teatrais radiofonizadas. Dinâmica, criativa e acima de tudo, dona de um generoso coração. Não se restringiu às manifestações artísticas e intelectuais, preocupando-se também com a sorte dos desvalidos, homens e animais.
      Criou o Albergue Noturno em 1957, hoje conhecido como Albergue Municipal Adolfo Fetter, um de seus benfeitores quando Prefeito da cidade. Era uma casa velha, desativada, onde havia funcionado a penitenciária. Fica situada à rua Padre Felício, 320. Corria sempre atrás de subsídios para a manutenção da "Casa" e dos seus dependentes. Passou anos e anos buscando recursos. Conviveu com a miséria física e moral dos excluídos, sem tentar se promover..
      Magda foi a primeira mulher no país a cursar Escola de Detetives, penetrando num meio exclusivamente masculino para poder escrever contos policiais. Corajosa, transgressora. São dela as seguintes peças radiofonizadas em Pelotas:
O assassinato de Dona Heloísa, O inquilino da rua 17, O crime da rua Buarque de Macedo, O Avião Sinistro, O detetive moribundo, todos da década de 40, entre outros.
      Apesar de sua vasta produção literária entre romances, contos, quatro volumes de Ensaios sobre Filosofia, História da Ordem dos Advogados do Brasil, A Maçonaria e a Independência do Brasil, nada foi encontrado. Teriam os ratos do escritor Dyonélio Machado os guardado?
Eis uma sugestão: Vamos procurá-los?
(palestra de Yara Cava, em 24/10/11)

Fonte: http://centroliterariopelotense.blogspot.com.br/p/um-pouco-de-historia.html


Nenhum comentário: