sexta-feira, maio 04, 2007

185 - Faleceu João Francisco Rodrigues Andrade

Muito eu ia nos rodeios na Hidráulica, nas terras do Seu Andrade. Tinha muita admiração por este senhor. Com profunda tristeza recebi a notícia que ele se foi neste último sábado. Quem tiver algo a dizer sobre ele, coloque nos comentários.

Ai vai o que saiu no Diário Popular:

Tradicionalistas dão adeus ao gaúcho João Francisco Rodrigues Andrade
por André Dala Possa

O cavalo branco encilhado, carinhosamente chamado de Quero-quero da Felicidade, carregou apenas as botas usadas pelo ex-companheiro em tantas lidas. Era parte da homenagem prestada ao tradicionalista João Francisco Andrade, sepultado ontem, às 9h, no Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula. O gaudério responsável pelo incentivo às tradições gaúchas, um exímio contador de histórias, recebeu emocionantes honrarias de despedida em forma de música, poesia e cortejo a cargo dos parceiros de cavalgada.Importante figura do meio tradicionalista, Andrade morreu às 5h da madrugada de sábado aos 78 anos, em virtude de complicações decorrentes de um infarto do miocárdio. Deixou duas filhas, três netas e um irmão. Cerca de 300 pessoas acompanharam o último adeus ao homem que dedicou a vida ao culto e desenvolvimento do gauchismo.Na poesia redigida e declamada por Mário Matos foi manifestado o sentimento de tristeza. Entre versos e lágrimas, o poeta lembrou momentos de convívio. “Foi um grande privilégio conhecer esse índio forte, que até o último instante sorria enfrentando a morte. Baixamos nossas bandeiras com tristeza a meio pau. Não quis a doença indiada que cruzasse esse val. Com a falta desse vaqueano nosso pampa entristeceu. Ninguém sente o bem que tinha senão depois que o perdeu.”ProjeçãoConhecido nacionalmente pelo seu envolvimento na defesa da cultura do pampa gaúcho, Andrade ocupou todos os cargos na hierarquia do movimento - de peão à presidente. Foi autoridade máxima do MTG por duas vezes, também assumiu em dois mandatos a presidência da Confederação Brasileira do Tradicionalismo. Desenvolveu atividades exclusivas, como a reformulação dos estatutos, e participou de outras ao lado dos demais zeladores da cultura do Estado. Levou os costumes, gostos, estilos e belezas gaúchas para fora das porteiras estadual e nacional.Grande declamadorOs colegas de tropa dizem que era nas declamações que Andrade mostrava sua alma de criança e nas suas atitudes deixava transparecer a experiência e sabedoria de um homem. “Não se pode somar os resultados de sua luta pela sobrevivência da história de seu povo, mas hoje é possível dizer que João Francisco Andrade é um ícone de nossas origens. Com certeza as próximas gerações vão ler muito a respeito dele. Até um dia em que nos encontraremos na invernada do céu”, disse o amigo e tradicionalista Carlos Gonçalves.

Diário Popular, Pelotas, RS, Segunda, 30.04.2007
http://www.diariopopular.com.br/30_04_07/p0801.html

Ponto de Vista
por Paulo Luiz Souza

Esta homenagem que hoje faço foi publicada por mim neste Jornal que é um orgulho de todos nós, no dia 26 de abril de 2001 e hoje eu peço a compreensão de todos para que seja publicada e lida novamente:Esta com certeza é uma crônica que muitos gostariam de assinar; em assim sendo torna-se então uma homenagem conjunta.Seu nome é João Francisco Rodrigues Andrade, e quando morrer (que dure muitos anos) será homenageado com nome de CTG, piquetes, ruas e até de escolas, não só aqui em nossa região mas com certeza em vários recantos do nosso País.Em sua vida, além de excelente chefe de família, cidadão participativo e agropecuarista que luta pelos direitos da classe, é mais conhecido como tradicionalista; sim pois quem pensa em tradição gaúcha aqui em nossa região primeiramente pensa no seu Andrade; em seu currículo já foi presidente do MTG (Estado), CBTG (Nacional) e até da diretoria da CITG (Internacional), além é claro de patrão de CTG, sendo, atualmente, conselheiro não só de vários CTGs locais mas do MTG em nível estadual. Mas seu maior orgulho ainda é de que aos 72 anos de idade não rejeita uma boa cavalgada, uma boa dança e sua agenda é repleta pois profere palestras, declama e até canta (Clip), além de ser requisitado para dar conselhos em várias entidades.Alguns dirão que seu nome não é unanimidade, e tenho certeza que para ele isto é um orgulho pois a unanimidade é burrice ou falta de opção e para essas poucas pessoas, fazendo minhas palavras do poeta, eu digo que eles passarão... e tu ficarás gravado em nossa história eternamente.Obrigado Andrade, teus amigos e seguidores agradecem o que tens feito pela tradição gaúcha, és reconhecido e homenageado em todo o Estado, isso é um orgulho para os amigos que andam contigo, e hoje externamos esta homenagem aqui na nossa região.Pois amigos, o João Andrade nos deixou e foi para a Estância do Céu declamar para São Pedro e fazer grandiosas cavalgadas, no sábado, dia 28 de abril. Senhores patrões de CTGs, diretores do MTG, políticos em geral podem agora prestarem as suas homenagens pós-morte porque nós, seus amigos e seguidores, já o valorizamos e homenageamos em vida.Muito obrigado pela publicação desta homenagem a um verdadeiro gaúcho.

Diário Popular, Pelotas, RS, Segunda, 30.04.2007
http://www.diariopopular.com.br/30_04_07/ponto_de_vista.html

184 - Irajá recebe título de Cidadão Leonense

O ex-prefeito, ex-vereador e ex-deputado federal Irajá Andara Rodrigues recebeu o título de Cidadão Leonense. A homenagem ocorreu na quarta-feira, dentro da programação do aniversário de 25 anos do município. A iniciativa foi do vereador Édson Ramalho (PSDB), mas o Decreto 499, que determina a outorga do título, foi assinado por todos os vereadores, tendo em vista a importante participação de Irajá na emancipação da cidade, em 1982.Irajá foi duas vezes prefeito de Pelotas - 1977 a 1982 e 1993 a 1996, duas vezes deputado federal - 1983 a 1986 e 1987 a 1990, e vereador pela cidade de Marau. É bacharel em Direito, professor de Latim e Português, participou como presidente de várias comissões da Câmara Federal, foi presidente da Azonasul e vice da Famurs.“Este, com certeza foi o título de Cidadão Leonense mais importante conferido pela Câmara de Capão do Leão, pois em nenhum momento o então prefeito da época, Irajá, com sua intuição visionária, se opôs ao movimento, deixando assim o caminho aberto para a emancipação do 4º distrito de Pelotas, hoje Capão do Leão”, destacou o presidente Cláudio Vitória.Na sessão especial foram agraciados com troféus os membros da comissão de emancipação, Valnir Medeiros, Antônio Nede da Costa Neves, Clóvis Roberto dos Santos Silva, Ana Maria Victoria Silva, Paulo Renato Costa, Paulo Roberto Carpter, John Kaiser, que receberam a homenagem das mãos dos proponentes, os vereadores Jará da Silveira e Paulo Leite. Após a entrega, foi pedido um minuto de silêncio em homenagem aos membros falecidos. Irajá destacou em seu pronunciamento que foi “o estopim de uma certeza, do desenvolvimento desta comunidade que colhe os frutos, do que presenciei 25 anos atrás”.
Fonte: Diário Popular, Pelotas, RS, Sexta, 04.05.2007