domingo, agosto 13, 2006

117 - Testamento de Félix da Costa


Félix da Costa fez um testamento em 18 de dezembro de 1818. Nesta época, seu filho Padre Felício (+11 out 1818) e sua esposa Ana Joaquina já haviam falecido. Os outros filhos Hypólito e Saturnino estavam em Londres e Rio de Janeiro. Félix faleceu em 29 de junho de 1819. Consta em seu testamento:

“... Chácara na alça (???) da Serra dos Tapes, no sítio denominado Santo Amor herdada de meu filho o Padre Felício Joaquim da Costa Pereira, ...”

“... Declaro que há trinta e seis annos estou de posse pacífica de huma sorte de terras na Serra dos Tapes no Rincão chamado do Pestana em o ângulo da confluência de dois arroios que descem da serra e formão o dito Arroio Pestana, cujas terras houve por compra ao Padre José Ignacio dos Santos Pereira e doeias in voce a meu filho Hypólito José da Costa Pereira em nome de quem mandei tirar sismaria a qual não está ainda confirmada e nem dela tomou nunca posse por andar sempre ausente e não saindo nunca do meu poder estou actualmente gozando do uso fruto dellas ...”

“... Declaro que fui senhor de huma estância no Serro de Sant´Ana a qual vendi a Antônio Pereira Bueno pela quantia de seis contos e quatrocentos mil reis a pagar no prazo de hum mês e quatro contos de reis a pagar em cinco annos em pagamentos iguais de oitocentos mil reis em cada hum ano do que he fiador e principal pagador Antônio José Gonçalves Chaves... “

Fonte: Inventário de Félix da Costa Furtado de Mendonça encontrado no Arquivo Público do RS, com ref. I Cartorio de Orphãos e Provedoria de Rio Grance, feito 189, maço 8, estante 12, ano 1819.

116 - Inventário de Alexandre da Silva Baldez

Consta nos bens de raíz...

“Ficado os Campos da Estância de que tem sismaria que terá legua e meya de comprido e meya legoa ao lelargo até do outro lado de San Gonçalo districto de Serro Pellado, que parte pelo norte com Jacinto de Almeyda e hum potreiro de Felix da Costa e pelo sul com o Reverendo Doutor Pedro Pereira de Mesquita, pelo leste com Manoel Moreira de Carvalho e pelo oeste com Manoel Dutra e Antonio Teixeira Corisco; com casa, corrais e mais benfeitorias que tudo foi pelos dito avaliadores aváleado a quantia de quinhentos mil reis”

Fonte: Inventário de Alexandre da Silva Baldez encontrado no Arquivo Público do RS, com ref. I Cartorio de Orphãos e Provedoria de Rio Grance, feito 2, maço 37, estante 2, ano 1793.