sábado, junho 03, 2006

88 - Espanhóis Invadem o Rio Grande

Em 1761, os espanhóis decidiram expulsar os portugueses do Rio Grande do Sul, Colônia do Sacramento e Santa Catarina (tratado revogatório de El Prado).
Em 1o de outubro de 1762, a Espanha atacou a Colônia do Sacramento que se rendeu após um mês de cerco e lutas. Os militares portugueses foram enviados para o Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Félix da Costa, apesar de militar, deve ter ficado na colônia ou voltou mais tarde, pois veia a casar por lá em 1773. A familia do Padre Doutor (incluindo ele) estava lá e permaneceu no local.
Em 24 (???) de abril de 1763, os espanhóis atacaram a fortaleza portuguesa Santa Tereza, comandada pelo Coronel Thomaz Luis Osório, que não ofereceu resistência.
Em 12 de maio do mesmo ano, D. Pedro Ceballos, governador de Buenos Aires, invadiu Rio Grande com 3.000 homens. Avançaram até São José do Norte.
Ainda no ano de 1763, Portugal e Espanha firmaram o Tratado de Paris e os Espanhois devolveram a Colônia do Sacramento mas continuaram nas outras localidades conquistadas. Perdendo Rio Grande, os portuguêses fugiram para Viamão, fundando a capital do Rio Grande no Porto dos Casais (atual Porto Alegre).

87 - Tratado de Madri


Em 1750, Portugal e Espanha assinaram o Tratado de Madri que oficializava a posse dos Potugueses nas terras do atual Rio Grande do Sul mas obrigava entregar a Colônia do Sacramento a Espanha recebendo as Missões como contrapartida. Foi organizado o Exército Demarcador Português, ao comando do general Gomes Freire de Andrade, que trabalharia junto com o Exército Demarcador da Espanha.
Para realizar este trabalho os exécitos demarcadores encontrarm resistência dos Índios Missioneiros com diversas batálias. Durante esta campanha, foram criados os Fortes São Gonçalo no Rio Piratiny e Jesus Maria e José em Rio Pardo. Para ligar estas duas bases militares e Rio Grande, foi aberto um caminho onde atualmente estão Rio Grande – Povo Novo – Passo do Liscano no São Gonçalo – Pedro Osório – Vila Freire – Morro Redondo – Canguçu – Coxilha do Fogo – Vão dos Prestes no Rio Camacuã – Encruzilhada do Sul – Pântano Grande e Rio Pardo. Ao longo deste caminho foram criadas diversas estâncias.

Segundo Coronel Cláudio Moreira Bento no livro [BENTO 2005] – pág 32 – é de se presumir que Félix da Costa Furtado de Mendonça tenha integrado o Exército Demarcador Português que andou no Rio Grande do Sul e Colônia do Sacramento, de 1752-61.
Faziam parte destas tropas, três companhias de granadeiros de regimentos do Rio de Janeiro, de onde Félix era natural.Ao final desta campanha ele deve ter sido destacado em Colônia onde casou-se com Ana Josefa Pereira Fernandes de Mesquita em 16 de junho de 1773.

[BENTO 2005] BENTO, Cláudio Moreira. Hipólito da Costa: o gaúcho fundador da imprensa no Brasil. Porto Alegre: Gênesis; Rio de Janeiro: Academia de História Militar Terrestre do Brasil, 2005. 158 p.

86 - Antiga Sub-Prefeitura


A sub-prefeitura já funcinou no prédio onde hoje é o CTG Tropeiros do Sul.
Fotografia tirada em 1984 por Flávio Moreira dos Santos.