quarta-feira, março 08, 2006

4 - O nome "Capão do Leão"


Existiu por estas bandas um animal chamado Suçuarana ou Puma que por ser muito parecido com o Leão Africano, mas com cor mais clara, também era conhecido por Leão Baio. Segundo relato dos antigos moradores, o nome do Capão do Leão surgiu deste animal. [DOS SANTOS 2003]


[DOS SANTOS 2003] DOS SANTOS. Flávio Moreira. O Leão do Capão. Pelotas: [DIARIO DA MANHÃ]. 8 de maio de 2003. Artigo Original: O historiador Dr. Fernando Luiz Osório, em seu livro Cidade de Pelotas, referindo-se à fauna do interior do município expressa-se assim: "O tigre, o leão e o tamanduá-bandeira, aqui já existiram, mas não consta, neste últimos anos, que tenha sido visto na zona municipal. O exposto consta de uma pesquisa encontrada na Biblioteca Pública Jornalística Hipólito da Costa de Capão do Leão. O leão que o historiador faz referência é o Felis Concolor, popularmente chamado de leão baio. Quando os colonizadores europeus chegaram ao Brasil, encontraram muitos animais semelhantes ao que eles já conheciam na África. Assim a onça, que os índios denominavam de jaguar, foi chamada de tigre; o urubu passou a ser corvo; o maracajá, gato do mato e a suçuarana, pela impressionante semelhança com o rei dos animais, ganhou o nome de leão e, pela cor , um pouco mais clara, leão baio. Animal muito ágil e veloz é conhecido também pelos nomes de suçuarana, puma e onça parda. É o maior do felinos entre o gênero Felis. É também dos poucos que tem a pelagem uniforme leonada. Este esbelto felino mede até 1,80 metros de comprimento, sem cauda, que pior sua vez mede 0,75 metros. A altura é de cerca de 0,70, do ombro ao chão. Nos relatos dos mais idosos e nas crônicas de antigos viajantes, o leão baio sempre foi considerado um animal valente, tanto na caça de suas presas como nas lutas de defesa contra cães. Mesmo parecendo amedrontrador, o leão baio pode ser domesticado. Em algumas fazendas da Argentina, são usados como cães pastores convivendo pacificamente com os carneiros. A última aparição de um leão baio, no estado, ocorreu recentemente, no dia 12 de março do corrente ano, quando acuado por cães, na propriedade de Luiz Becker, entre os municípios de Três Passos e Miraguaí, matou um deles com uma pata. A denominação de diversas localidade do território gaúcho teve provavelmente origem no nome desse imponente felino como as cidades de Minas do Leão, Boqueirão do Leão e, segundo relatam os antigos, a cidade onde passei minha infância - CAPÃO DO LEÃO.
-------------------------------------
Postagem atualizada em 11nov2010

6 comentários:

Joaquim Dias disse...

Prezado Arthur, realizando pesquisa acerca do nome de Capão do Leão, cheguei a conclusão semelhante: provavelmente pela razão de haver um leão-baio no local. Só considero que isso tenha acontecido nos fins do século XVIII, já que o nome "Capão do Leão" já aparece num documento em 1809 e com certa relevância. A propósito, se observarmos um mapa do curso do canal São Gonçalo, verificaremos na divisa Capão do Leão/Rio Grande um acidente geográfico denominado "Volta do Tigre", outro indicador da existência de felinos de grande porte em nossa região no passado.As cidades de Cangussú e Jaguarão também são claros indicadores. Para complementar: a teoria que sustenta que o nome do município é proveniente da fuga de um leão de um circo é insustentável, dado que se existem datações tão antigas para o nome e as primeiras companhias circenses na América(!) datarem de 1840, e no Brasil, somente na República.

Arthur Victoria Silva disse...

Prof. Joaquim Dias, Prazer em ter seu comentário neste espaço. O Luiz me falou do sr e seu interesse pela História do Capão do Leão.
Sobre este assunto, também encontrei o nome Capão do Leão na reprodução de um texto de um livro sobre a viagem de Karl
Friedrich Gustav Seidler em 1928/29 no RS. O sr saberia dizer qual é o documento de 1809 que fala do Capão do Leão e onde eu poderia encontrá-lo? Eu também acredito na hipótese do Leão-baio apesar de não descartar a do Sr. Leão.

Joaquim Dias disse...

Prezado Arthur, encontrei a referência a 1809 no livro "Pelotas: Gênese e Desenvolvimento Urbano" do professor Eduardo Arriada. Trata-se de um documento que achou-se no Arquivo Nacional do Rio de Janeiro e creio que seja citado lá pela página 70, 80 do livro do Arriada. Quanto ao nome Capão do Leão queria acrescentar que procurei sobrenomes e nomes em registros de batismo (coletâneas produzidas pelo Instituto Histórico-Geográfico de Pelotas) da região de Rio Grande e Pelotas do final do século XVIII. Não consegui encontrar nenhuma referência ao nome e sobrenome "Leão". Quanto ao armazém, pousada, bolicho...que a tradição oral vincula ao "seu" Leão, obtive algumas informações num manuscrito da década de 20, de Alberto Coelho da Cunha, que se encontra no Museu da Bibliotheca Pública Pelotense. Neste manuscrito, Cunha remete a um senhor, que teria uma espécie de hospedaria "à beira da estrada real". O fato é que Cunha fornece elementos que corroboram a tradição oral. Entretanto, o manuscrito, cujo nome é "Notícia Descriptiva dos Distritos de Pelotas", informa que o dono desta hospedaria seria um senhor de nome Florentino A. dos Santos. Seria um indicativo a mais para ser investigado.

Arthur Victoria Silva disse...

Prof. Joaquim,

Nesta última quarta feira, estava conversando com meu tio Flávio Moreira dos Santos sobre o assunto do nome do Capão do Leão. Tio Flávio, hoje com 74 anos, é um pesquisador abaixonado, principalmente pela história dos Índios e da origem do nome "Capão do Leão". Ele conta que quando guri só escutava a versão do leão-baio, dos mais velhos como Narciso Silva, Bernardino Moreira dos Santos, e somente depois veio a escutar a versão do Sr. Leão.

Eder H. da Rosa disse...

tchê olha oque esta mulher escreveu!
Perdi a paciência com ela!http://www.naodiscuto.com/index.php?itemid=206

Baita Abraço!

Eder H. da Rosa disse...

Perdi a paciência e tambem a elegancia
Mas ela mereceu!http://www.naodiscuto.com/index.php?itemid=206
grande abraço e abre este link acima!